Para muitas pessoas o sonho é construir uma casa de raiz. Assim terá uma casa feita à sua medida e poderá escolher tudo, começando logo na localização da sua casa e no ambiente que lhe quer dar. De qualquer forma, comprar um terreno é um processo complexo ou, pelo menos, com muito pontos para os quais tem de ter atenção.

Passo 1

O primeiro passo é encontrar um terreno com as características que procura. Depois de escolhida a localização há vários fatores que deve considerar: um terreno numa zona autorizada para construção e que já tenha as infraestruturas básicas, como saneamento básico e rede de eletricidade, facilitará muito o resto do processo (bem como os custos).

Pode consultar os terrenos que temos disponíveis pesquisando aqui.

Passo 2

Depois de escolhido o terreno, e antes de assinar com o proprietário o Contrato de Promessa de Compra e Venda (CPCV), tem de confirmar que é possível construir ali.

Para o fazer tem de consultar o Plano Diretor Municipal (PDM), disponível na Câmara Municipal. Neste documento vai encontrar a planta de ordenamento, onde pode analisar a organização do espaço e assim perceber se o terreno que quer comprar está classificado como Solo Urbano Urbanizado ou Solo Urbano Urbanizável, classificações que lhe indicam que pode realmente construir ali. Caso esteja identificado como Solo Rural também poderá ser possível construir mas terá de passar por mais procedimentos para o conseguir. Consulte também o plano de condicionantes, parte do PDM, para perceber se tem alguma restrição naquele terreno. Se o loteamento que quer adquirir já estiver urbanizado consulte antes o plano de pormenor: aí terá todos os detalhes da área urbanizada.

Para muita das questões os nossos consultores dar-lhe-ão resposta na hora quando se trata de terrenos que temos em carteira.


Passo 3

Após verificar que está tudo de acordo com o que pretende na Câmara Municipal é altura de tratar do crédito (caso precise). Para compra de um terreno pode recorrer tanto ao crédito pessoal como ao crédito habitação.

O crédito pessoal tem prazos mais curtos e taxas de juro mais elevados, mas conta com a facilidade de subscrição, uma vez que não tem de ter qualquer documentação do terreno.

O crédito habitação para construção, a melhor opção para a grande maioria dos casos, tem condições mais atrativas (até do que para compra de habitação pronta) e permite incluir o custo do terreno no crédito para construção.

É um processo um pouco mais complexo do que um crédito habitação para compra de casa pronta: para além de todos os documentos habitualmente pedidos, o banco exigirá também um projeto de arquitetura para avaliação do custo de obra.

 

Passo 4

Depois de todos estes aspetos tratados está apto para adquirir o seu terreno! Após a compra deverá apresentar um projeto de licenciamento na Câmara Municipal. Seguir-se-á o projeto de especialidades (onde constam todos os detalhes dos projetos de água, luz, avac, etc) e, após deferimento, os documentos do construtor para que seja emitido o alvará de construção. Quando a obra estiver concluída será entregue à Câmara Municipal o livro de obra e restantes documento para obtenção da licença de habitação.