Cada vez mais a Certificação Energética toma um lugar de destaque na classificação dos imóveis. Para além do seu caráter de obrigatoriedade para uma compra/venda, todos os elementos que a compõem caminham cada vez mais para potenciar a melhoria dos edifícios. Fomos perceber com o Arquiteto Rodrigo Santos, Perito Qualificado e Diretor da ZeroE, qual o papel que a certificação energética terá no futuro dos nossos edifícios.

Quais são os serviços da ZERO.E?

A ZERO.E é uma empresa que nasceu em 2008, com o propósito de dar resposta a uma nova necessidade do mercado, a área da Certificação Energética. A lei, que fora publicada em 2006, tornava obrigatório a partir de janeiro de 2009 que todos os imóveis existentes para venda ou arrendamento tivessem um Certificado de Desempenho Energético e da Qualidade do Ar interior. Tornava-se, assim, necessário que este documento – Certificado Energético – fosse apresentado sempre que uma transmissão ou arrendamento de imóvel ocorresse. Assim, desde 2009, a ZERO.E dedicou-se em exclusivo à emissão de Certificados Energéticos. À medida que a empresa se implementava no mercado, os clientes solicitavam outros serviços complementares da Certificação Energética, e que iam para além dela. Assim, a empresa, e dado que um dos sócios-gerentes é Arquiteto, dedicou-se também à elaboração de Projetos de Arquitetura, Avaliação Imobiliária, preparação de Fichas Técnicas de Habitação e Certificação Acústica. Recentemente, presta, também, serviços de Consultoria Energética.

Em relação à Certificação Energética em que é que ela reflete a qualidade de uma habitação?

Muitas vezes, confunde-se, erradamente, a Classe Energética com o nível da qualidade dos acabamentos do imóvel ou do seu bom estado e aspeto geral. A Certificação Energética, que se materializa numa classe de desempenho energético (que vai de A+ a F), não é mais do que a tradução da eficiência energética do imóvel. O mesmo é dizer, a quantidade de energia que o imóvel necessita de produzir para se manter termicamente confortável, quer a necessidade de calor necessário para gerar no inverno, quer a quantidade de frio necessário para produzir no verão. Intuitivamente, sabemos que o último andar de um edifício antigo é sempre muito quente nos dias muito quentes de verão. Em resumo, a Certificação Energética traduz a qualidade energética de um imóvel, mas de uma forma que não é, na maioria das vezes percetível, pois tem a ver com a existência de isolamentos térmicos nas paredes exteriores e telhados ou terraços, a existência de isolamento nas tubagens de água quente, a instalação de equipamentos de produção de água quente e climatização eficientes, etc.

Um dos pontos mais interessantes de um Certificado Energético é a identificação dos pontos de melhoria. Notam real aplicação e utilidade nestas indicações?

De facto, as Medidas de Melhorias são cada vez mais o ponto fundamental de um Certificado Energético. Estas identificam os aspetos mais frágeis construtivamente e que potencialmente possam vir a originar patologias construtivas, como por exemplo, fungos, humidades, infiltrações, etc. Estas Medidas de Melhoria podem passar por exemplo, pela substituição de janelas por outras mais estanques e eficientes, por aplicação de isolamento térmico em coberturas e paredes exteriores, pela implementação de sistemas técnicos que façam o aproveitamento de energias renováveis, etc.

A ADENE, Agência para a Energia, entidade responsável pela gestão do Sistema de Certificação Energética, tem vindo a valorizar nos últimos anos, este ponto do Certificado Energético (CE). Pretende-se, assim, que o Certificado Energético seja mais do que um simples documento estático e se torne, não só um guia, com indicações para quem pretende reabilitar um imóvel, como também um instrumento de acesso a benefícios fiscais e financeiros, que comparticipam a reabilitação energética do mesmo. Cada vez mais a Zero.E é contactada para essa finalidade, clientes que pretendem saber como podem ter acesso a benefícios fiscais e em que medida a ZERO.E os pode ajudar nesse objetivo.

A poupança e eficiência energética são temas cada vez mais presentes no debate público. Nota-se diferença na importância dada à classificação energética de uma habitação nos últimos anos?

Cada vez mais há uma maior consciência por parte dos cidadãos da importância da Eficiência Energética de uma habitação. Esta, em termos práticos, antevê os gastos potenciais de energia para climatização de um imóvel e, como é natural, isso é um fator de ponderação na decisão de compra ou arrendamento de um imóvel. Curiosamente, notamos que os nossos clientes estrangeiros têm uma maior consciência deste aspeto, o que é um sinal do trabalho que a ADENE ainda tem por desenvolver na divulgação e consciencialização do público em geral.

Qual o caminho de futuro que se pode antever para a relevância do nível de Certificação Energética na compra de uma habitação?

Ainda este ano de 2021 está previsto um processo de implementação da revisão da legislação do Sistema de Certificação Energética, que vai introduzir critérios de análise e valores de referência muito mais exigentes e rigorosos. Prevê-se também que o Certificado Energético seja cada vez mais uma ferramenta de análise e ponto de partida para a Reabilitação Energética dos edifícios. Deste modo, será de vital importância para quem adquire um imóvel, que o Certificado Energético referente ao mesmo identifique, com o maior rigor possível, todos os aspetos relativos ao potencial de melhoria. Sem que este trabalho seja feito de forma criteriosa pelo Perito Qualificado, o proprietário pode ver-se privado e impedido de aceder aos benefícios fiscais e instrumentos financeiros anteriormente referidos, o que se pode traduzir em vários milhares de euros de prejuízo.

Por fim, como é trabalhar com a PMR Imobiliária? 

A PMR Imobiliária, desde o início da parceria celebrada com a ZERO.E, em 2017, teve sempre uma postura muito profissional e cordial. A organização que denota e o trabalho realizado pela PMR, traduz-se numa mais-valia também para a ZERO.E, como parceira, e contribui para uma melhoria do nosso trabalho. A equipa com quem trabalhamos é muito eficiente e exigente, o que deixa antever que o trabalho prestado aos seus clientes, seja extremamente rigoroso e competente.

Arq. Rodrigo Santos, Zero.E